Anúncie no portal da Rdio Cultura AM 1260 - So Borja
Notícias São Borja

Um regalo para a música de São Borja

Rafael Vigna Editado em 20/03/2019

Um regalo para a música de São Borja

(*) Foto Rafael Welfer/Crônicas da Cidade

Por Rafael Vigna
Notícia da Edição Impressa da Folha de São Borja de 20 de março de 2019 


Quando Baldomiro Lopes Antunes resolveu presentear o neto de 14 anos com um violão, talvez ainda não imaginasse que aquele regalo seria extensivo à arte e à cultura de toda a São Borja. Mas, foi exatamente o que aconteceu. Ao receber o instrumento musical das mãos do avô, que também foi o responsável por bancar as primeiras aulas, Marcelo Antunes deu início a uma trajetória que, hoje em dia, é motivo de orgulho para a cidade.

Trinta anos depois da semente plantada, o cantor e violinista, de 44 anos, colhe os frutos em alguns dos principais festivais de música nativista do Estado. Em 2018 e 2019, seis importantes premiações – entre elas o Festival da Barranca e o Carijo da Canção Gaúcha – reforçam o amadurecimento da carreira e projetam novas conquistas.

A fase atual também remete às lembranças da infância por outras razões. Marcelo revela que, desde os 7 anos de idade, nutria o sonho de participar da formação de Os Angüeras. Ele lembra de ter assistido algumas apresentações de Zé Bicca, Pedro Julião Ayub, Serginho Souza e companhia, na Califórnia da Canção Nativa, em meados da década de 1980. Desde então, passou a “alimentar a alma” com um desejo que não demorou a se materializar. Isso porque, em 2009, por intermédio de Miguel Bicca e Vantuir Caceres, parceiros de música e estrada, foi convidado a participar das reuniões do Grupo. “No dia em que o Miguel (Bicca) me telefonou pela primeira, me convidando para um mate e uma roda de viola, eu desabei, emocionado. A partir dalí, muitas coisas boas têm acontecido”, recorda.

O sonho, nutrido em silêncio nos recantos do espirito, se tornou real em 2011, quando passou a integrar a formação original dos Angüeras. No mesmo ano, subiu ao palco do Salão de Atos da Ufrgs, em Porto Alegre, com a indumentária branca, característica do Grupo, e a Cruz de Lorena, em couro, estampada no peito – relíquia repassada por Eduardo Bicca e que havia pertencido a um dos fundadores do Grupo, Zé Bicca. “Quando o Eduardo (Bicca) me deu a cruz, o símbolo maior do grupo, tive um arrepio. senti algo diferente. No momento em que o primeiro acorde tocou, foi algo único. Isso denota o respeito e o carinho que existe pelo Grupo. Quando vi o público cantar junto então, por mim, eu pararia o tempo naquele momento. Há uma mística envolvida, algo que não se enxerga, mas se sente e se sabe que está ali”, revela.

Por esta razão, Marcelo Antunes, costuma repartir sua carreira em “Antes” e “Depois” do ingresso nos Angüeras. Outro divisor de águas aconteceu na Páscoa do ano passado, quando interpretou “A Força de Nossa Voz”, no palco da Barranca. Ao lado de nomes de como Nenito Sarturi, Nilton Ferreira, João Carlos Silva, Felipe Goulart, Dionatan Farias, Vantuir Caceres e Desidério Souza, ele abocanhou o primeiro lugar no Festival.

De lá pra cá, outros cinco prêmios vieram. Em parceria com Rodrigo Bauer, conquistou o Carijo da Canção Gaúcha, com “Primeiro e Último Mate”, e o segundo lugar na Casilha da Canção Farrapa, com “Meu nome é Chamamé”. Um “Par de Remos”, assinada por Silvio Genro, por sua vez, garantiu o prêmio do Retiro Cultural do Artista e de Melhor Intérprete no Festival do Canto Jaguar, em Jaguari. Neste último, na 10ª edição realizada em fevereiro de 2019, Marcelo Antunes também participou das músicas vencedoras nas categorias Linha Livre e Linha Temática com “Recados do Minuano”, de João Barros e “Ele”, de Juca Moraes.

Agora, para a sequência do ano, Marcelo Antunes projeta novos desafios. Sem apoio da inciativa privada ou de políticas públicas de incentivo à cultura, ampliar a quantidade de participações e premiações se torna uma tarefa árdua. Entretanto, a “safra” artística tende a ser produtiva, principalmente, pelas novas possibilidades de parceiras que repontam no horizonte. “É preciso superar as barreiras e as dificuldades. Deixamos nossas famílias (a esposa Ere e o filho Marcelinho, de 12 anos), nos deslocamos e fazemos isso, sempre por amor arte e por amor a nossa música”, complementa


Confira as premiações de 2018 e 2019:

Festival da Barranca
Composição: “A Força da Nossa Voz”.
Letra: Nenito Sarturi. Música: Nilton Ferreira e Nenito Sarturi.
No palco: Felipe Goulart, Dionatan Farias, João Carlos Silva, Vantuir Caceres, Nenito Sarturi, Nilton Ferreira, Desidério Souza e Marcelo Antunes.

Retiro Cultural do Artista, em São Marcos
Composição: “Um par de Remos”
Letra: Silvio Genro
Música: Felipe Goulart
Intérprete: Marcelo Antunes

Carijo da Canção Gaúcha, em Palmeira das Missões
Composição: “Primeiro e Último Mate
Letra: Rodrigo Bauer
Música: Vantuir Caceres
Interprete: Nilton Ferreira
Violões e vocais: Marcelo Antunes e Felipe Goulart

Encontro Costeiro, em Santa Rosa (2º lugar)
Música: “Jeito de Mato”
Letra: Silvio Genro
Música: Felipe Goulart e Marcelo Antunes
Intérprete: Marcelo Antunes

Casilha da Canção Farrapa, em Itaqui (3º lugar)
Composição: “Meu nome é Chamamé”
Letra: Rodrigo Bauer
Música: Marcelo Antunes e Felipe Goulart
Intérprete: Marcelo Antunes

Festival Canto do Jaguar, em Jaguari

- Categoria Linha Livre:
Composição: “Recados do Minuano”
Letra: João Barros
Música: João Carlos Silva e Felipe Goulart
Intérprete: João Carlos Silva
Violão e vocais: Marcelo Antunes, Lenilton Morato, Billy
Moiano e Gaudemir Silva.

- Categoria Melhor intérprete:
Composição: “Um par de Remos”
Letra: Silvio Genro
Música: Felipe Felipe Goulart
Intérprete: Marcelo Antunes

- Categoria Linha temática (2º lugar):
Composição: “Ele”
Letra: Juca Moraes
Música: Felipe Goulart
Intérprete: Grupo E a Obra (Marcelo Antunes, Lenilton Morato, Billy Moiano e Gaudemir Silva e João Carlos Silva)

Gostou da Matéria? Deixe-nos seu curtir ou Deixe seu Comentário

Fique sempre Atualizado

Receba em seu e-mail as notícias da cidade, promoções e tudo sobre a programação da Rádio Cultura AM 1260




Todos os direitos reservados à ESBC - Empresa São-borjense de Comunicações Ltda

© Radio Cultura AM 1260 - 2014

Desenvolvido por: